Fodi a buceta da minha sogra

Aqui conto como Carlos, um garoto de 18 anos, branco, musculoso e de boa aparência, passei a foder a minha sogra. Bem, tudo começou numa noite quente de verão, estava o dia todo na casa da minha namorada, onde só morava ela e sua mãe Jaqueline. Jaque era uma mãe solteira de seus 40 e poucos anos, com um belo corpo, coxas grossas e um belo par de peitos, sem contar o bronzeado que tinha pego, que me deixou mais louco ainda.
Nesta noite, Jaque tinha feito um delicioso estrogonofe para nós comermos, uma ótima janta regrada com muita cerveja. Após nós comermos, minha namorada que era meio fraca para bebida já estava meio tonta, então ela subiu para o quarto no andar de cima e foi dormir enquanto eu fiquei para ajudar a mãe dela a arrumar a louça.
Dona Jaque se levantou levemente afetada pelo àlcool, pegou os pratos e levou para a pia. Nisso, eu fiquei na mesa tomando mais uma cerveja e observando aquela bela visão. Dona Jaque estava com uma camisola branca bem curtinha mostrando aquelas coxas que me enlouqueciam, além da parte de cima ser bem decotada e mostrar a parte lateral dos seus peitos com aquela marquinha de biquini deliciosa.

Afetado pelo álcool, fiquei duro como pedra olhando aquela cena, mas logo após isso, Dona Jaque me pede que feche a janela que fica em frente a pia para ela. Eu me levanto tentando esconder a minha ereção, me aproximo dela e me estico para tentar fechar a janela sem roçar meu pau duro nela, quase perco o equilíbrio mas apoio uma mão nas costas dela sentindo o corpo dela quente como fogo se arrepiar com o meu toque. Consigo fechar a janela mas tenho certeza que ela sentiu meu pau encostando nela.
Depois disso me sentei, mas ela me chamou denovo, dessa vez para guardar umas panelas no armário debaixo da pia, eu peguei as panelas e guardei no armário, chegando com o rosto bem perto daquelas coxas. Ela percebeu que meu rosto estava próximo e parece que aproximou mais ainda a perna do meu corpo, ai eu não aguentei e dei um beijinho de leve na parte de trás de suas coxas. Como ela não falou nada, eu dei outro beijo mais acima e depois continuei beijando, subindo cada vez mais até chegar perto daquela bunda maravilhosa.
Do nada ela largou a louça e se virou, achei que agora ela finalmente ia me xingar e fiquei parado alí, olhando para ela.
Ela simplesmente me olhou, deu um sorrisinho e disse:-“Não disse pra parar”
Daí eu enlouqueci, nem acreditava no que estava acontecendo mas agarrei aquelas coxas e continuei beijando elas, subindo cada vez mais. Eu subi um pouco a camisola e vi aquela calcinha branquinha quase transparente de tão molhada que tinha ficado. Imdediatamente puxei ela pro lado, já toda grudada na buceta, e dei uma lambida bem profunda na buceta dela, o que fez ela soltar um gemido bem alto. Continuei chupando com tudo aquela buceta molhada e suadinha que estava tão gostosa enquanto ela tapava a própria boca pra não gritar tão alto, mas mesmo assim eu sentia ela gozando bem gostoso na minha boca.
Depois de chupar bastante tentei pôr dois dedos na buceta dela, mas ela segurou minha mão, me puxou pra cima e me empurrou contra a parede dizendo: -“Minha vez agora”.
Ela puxou minha bermuda e minha cueca pra baixo sedenta pelo meu pau já que não sentia o gosto de um á muito tempo. Ela agarrou meu pau que já estava latejando e meteu direto na boca, eu quase gozei na hora, mas ela continuou mamando meu pau como eu nunca tinha sentido antes, parecia que ia sugar meu pau todo com a boca. Depois de deixar meu pau todo molhado eu já não aguentava mais, puxei ela pra cima, levantei uma perna dela , puxei a calcinha pro lado e meti meu pau na buceta dela. Ela urrou de tanto prazer enquanto eu metia na buceta dela, e começou a me beijar bem gostoso. Eu nunca tinha sentido tanto tesão na vida, agarrando aquela coxa e arregaçando a buceta dela ao mesmo tempo que sentia a língua dela na minha boca.
Depois de fuder bastante ela, eu tirei meu pau, virei ela de costas pra mim. Ela se empinou todinha e se apoiou na parede pedindo pra ser fodida.
Eu tirei a calcinha dela, subi a camisola e vi aquela bunda bronzeada com uma marquinha de biquini, o cuzinho dela piscando e a buceta deliciosa escorrendo praticamente implorando pelo meu pau. Eu agarrei ela com força pela cintura e meti com tudo naquela buceta, fazendo ela gritar de tesão, enquanto eu metia sentia a buceta se apertar envolta do meu pau, até que chegou a um ponto que não aguentei e tive que gozar tudo dentro daquela buceta. Eu gozei tanto que chegou a escorrer pelas coxas dela, fazendo ela gozar intensamente arranhando a parede.
Depois que nos recompomos, nós botamos nossas roupas de volta. E essa foi a primeira de muitas loucuras que fizemos juntos e que talvez eu conte aqui se alguém gostar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *